7 Motivos para contratar uma Consultoria

7 Motivos para contratar uma Consultoria

Índice

  • Introdução
  • 1. Definição da palavra “Consultor”
  • 2. O surgimento do mercado de Consultorias
  • 3. Motivos prévios para contratar uma Consultoria
  • 4. A utilidade da consultoria
  • 5. Algumas áreas contempladas na consultoria
  • 6. 7 Motivos para contratar uma consultoria
  • Conclusão

Introdução

É importante que as Organizações busquem sempre melhorar o desempenho, mapeando e melhorando processos, estabelecendo metas equilibradas e alcançando estas metas de forma satisfatória. Entender onde está e aonde quer chegar, são bases para um planejamento estratégico, tático e operacional eficiente e eficaz.

Perceba este extraordinário versículo Bíblico:

Números 33: 2- “E escreveu Moisés as suas saídas, segundo as suas jornadas, conforme o mandado do SENHOR; e estas são as suas jornadas, segundo as suas saídas”…

O profeta Moisés registrou a jornada dos israelitas como o SENHOR DEUS o instruiu, disponibilizando um relato escrito dos seus avanços, tanto geográficos quanto espirituais, uma técnica que, se usada hoje, torna-se também um valioso auxílio para crescimento tanto de pessoas como de Empresas.

Nas micro e pequenas empresas, os empresários acabam sendo responsáveis, e muitas vezes, os executores, de todos os níveis do planejamento: Estratégico, Tático e Operacional. Nas médias e grandes empresas, a dificuldade, várias vezes, está em estruturar e comunicar de forma clara estes mesmos planejamentos, de modo a engajar toda Organização, para que, o que neles foi determinado, seja de fato realizado.

Em seu plano para Israel estabelecer-se na terra, o SENHOR DEUS:

1. Explicou o que deveria ser feito;

2. Comunicou isto claramente ao profeta Moisés;

3. Escolheu pessoas para supervisionar a divisão da terra, perceba:

Números 34: 16-29- “16. Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: 17. Estes são os nomes dos homens que vos repartirão a terra por herança: Eleazar, o sacerdote, e Josué, filho de Num. 18. Tomareis mais de cada tribo um príncipe, para repartir a terra em herança. 19. E estes são os nomes dos homens: da tribo de Judá, Calebe, filho de Jefoné; 20. e, da tribo dos filhos de Simeão, Samuel, filho de Amiúde; 21. da tribo de Benjamim, Elidade, filho de Quislom; 22. e, da tribo dos filhos de Dã, o príncipe Buqui, filho de Jogli; 23. dos filhos de José, da tribo dos filhos de Manassés, o príncipe Haniel, filho de Éfode; 24. e, da tribo dos filhos de Efraim, o príncipe Quemuel, filho de Siftã; 25. e, da tribo dos filhos de Zebulom, o príncipe Elizafã, filho de Parnaque; 26. e, da tribo dos filhos de Issacar, o príncipe Paltiel, filho de Azã; 27. e, da tribo dos filhos de Aser, o príncipe Aiude, filho de Selomi; 28. e, da tribo dos filhos de Naftali, o príncipe Pedael, filho de Amiúde. 29. Estes são aqueles a quem o SENHOR ordenou que repartissem a herança pelos filhos de Israel na terra de Canaã”…

Nenhum plano estará completo até que cada tarefa tenha sido designada e todos tenham compreendido suas responsabilidades. Ao receber uma incumbência, é preciso que determinemos o que precisará ser feito, dar instruções claras e colocar pessoas específicas como responsáveis pela execução de cada parte do plano.

Os consultores empresariais são experts em negócios, podem ajudar acelerando e dando qualidade extra nestes processos, gerando ganhos às vezes não imaginados, pela troca de experiência, e uso de métodos e ferramentas adequadas para o desenvolvimento destas demandas, imprescindível para o sucesso da Entidade.

1. Definição da palavra “Consultor”

A palavra “Consultor” vem do latim “consultōre”, pode ser definida como: “que ou aquele que tem a função de dar parecer, fornecer subsídios, sugerir, aconselhar” ou ainda, simplesmente: “que ou aquele que dá conselho“…

Veja este também magnífico texto Sagrado:

Provérbios 11: 14- “Não havendo sábia direção, o povo cai, mas, na multidão de conselheiros, há segurança”…

Em Israel, os sacerdotes eram responsáveis por aconselhar, ou seja, estavam aptos para tanto. Os consultores empresariais são especialistas em negócios, portanto, aptos para aconselhar sobre este assunto.

2. O surgimento do mercado de Consultorias

2.1. Na Prática
Por milhares de anos, empresas, governos e outras Organizações têm buscado o conselho de experts. Como conhecemos atualmente, as raízes da consultoria moderna, vieram a existir entre metade do século XIX e início do século XX, a partir da Revolução Industrial, que demandou especialistas para assessorar Entidades em questões de gestão, recursos humanos e produção.

2.2. Revolução Industrial
Vários estudiosos habitualmente consideram a Arthur D. Little, propriamente dita, como a primeira empresa de Consultoria, que atuava na área de gestão. Foi em criada em Boston (EUA), em 1886, levando o nome do fundador, que era um professor do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

2.3. O pai da consultoria
Um ex-professor de contabilidade da Universidade de Chicago, James O. McKinsey, funda em 1926, em Chicago, a McKinsey & Company, atualmente uma das três maiores consultorias estratégicas do mundo.
Marvin Bower, uma das principais influências na McKensey, contratado em 1933, é considerado por muitos, como o pai do mercado profissional de Consultoria, ele falecera em 2003, aos 99 anos.
Em 1960 inicia-se o desenvolvimento de consultorias no Brasil, paralelo ao crescimento da atividade industrial. Uma série de ocorrências nas décadas seguintes, como aquisições, fusões e privatizações, impulsionaria este mercado local.

3. Motivos prévios contratar uma Consultoria

Seguem alguns motivos prévios para contratar uma consultoria:

3.1. Na minha empresa há problemas que não sei identificar?

Pode ocorrer de uma Organização ter problemas que não são resolvidos pela gerência, que podem ser classificados como rotineiros e não tão importantes, ao ponto de se investir novos recursos para solucioná-los. Com a ajuda de consultores especializados, esses problemas podem ser resolvidos, proporcionando redução de custos, pela otimização de investimentos, por exemplo.

3.2. Há um baixo retorno produtivo na empresa que comando?

O mapeamento dos processos, para identificar “gargalos”, propor soluções que otimizem estes processos e agreguem valor a eles, aumentando a produtividade e o rendimento, é fundamental para o bom desempenho da Entidade, deste modo, tanto empresa como colaboradores e clientes, estarão sendo melhor atendidos. O consultor tem papel importante neste processo também, sendo responsável pela efetiva solução nestes casos.

4. A utilidade da consultoria

4.1. Economia de tempo:
Um especialista em negócios detectará e proporá soluções, utilizando as ferramentas adequadas, com muito mais agilidade. Em muitos casos, resolver problemas esporádicos das Organizações por ela mesma, demandará tempo e recursos elevados, o que pode não ser vantajoso, muito pelo contrário, acarretará custos elevados, e tempo expressivo para resolução, quando conseguir resolver, o que nem sempre pode ser possível.

4.2. Orientação para resultados:

A contratação de uma consultoria resultará em melhorias no processo produtivo de uma fábrica, por exemplo, ou em orientações para o planejamento estratégico de uma empresa, visando avanços no longo prazo também.

4.3. Inovação:

Um consultor contribuirá com novas ferramentas e métodos para solucionar problemas, o que agregará conhecimento para todos envolvidos. Este profissional trará uma visão externa, ou seja, uma outra visão para a equipe, possibilitando que sejam eliminadas zonas de conforto, que geralmente estariam impedindo o avanço da Entidade, ou de algumas áreas dela.

5. Algumas áreas contempladas na consultoria

5.1. Financeira:
Responsável por identificar gargalos e propor soluções para o planejamento financeiro da Organização: contas a receber, contas a pagar, movimento, caixa e fluxo de caixa são alguns itens presentes nesta área, alvos de investigações e melhorias, quando necessárias.

5.2. Gestão:
Soluções para processos de decisão da empresa, pela análise dos métodos usados, propondo soluções que melhores estes processos, e gerem resultados expressivos.

  5.3. Marketing: 

Uma definição de marketing é “entender e atender o mercado”, dentro disto, a consultoria proporá uso de ferramentas de marketing específicas para cada negócio, visando aumentar vendas, focando em estratégias que gerem impactos reais no faturamento da Entidade.

5.4. Controladoria:

Muitos empresários, quando acompanham a situação da empresa, o fazem somente pelo financeiro, muitas vezes, pelo “feeling”. Mas o desempenho do financeiro está diretamente ligado ao desempenho de outras áreas da Organização. A controladoria abrange todas estas áreas, de modo a fazer um planejamento amplo, eficiente e eficaz.

6.  7 Motivos para contratar uma consultoria

Veja abaixo 7 de motivos para a contratação de um consultor:

6. 1. Velocidade:

Um consultor experiente trará soluções com muito mais agilidade, eficiência e eficácia, que outros profissionais que não são especialistas, inclusive da própria empresa.

6.2. Conhecimento:

Um consultor conhece ferramentas e métodos que dão suporte para soluções brilhantes, culminando no sucesso da Organização.

6.3. Credibilidade:

Um consultor é um especialista em negócios, com ajuda dele, parceiros, clientes e investidores se sentirão bem mais seguros em todo e qualquer transação.

6.4. Custos:

Ao contratar um consultor, a entidade terá a disposição um profissional qualificado, que custará menos que a contratação de um profissional CLT, vale conferir, seja por serviços esporádicos, ou não.

6.5. Suporte para tomada de decisões:

Um consultor tem visão abrangente, experiência, preparo técnico, entre outras, portanto, está apto para dar suporte na tomada de decisões da Administração.

6.6. Melhoria do desempenho:

O planejamento da empresa pode ser dividido em: Estratégico, Tático e Operacional, ou, longo, médio e curto prazo respectivamente.
O plano estratégico, normalmente é feito pelo(s) dono(s) da empresa, o tático pelos gerentes, e o operacional é dado para o “chão de fábrica”. Para se chegar até os objetivos de longo prazo, é necessário cumprir com os de curto e médio prazo.
O consultor trabalhará na melhoria dos processos diários, focando no alcance do objetivo de médio e longo prazo.

6.7. Autonomia:

O consultor empresarial é um especialista em negócios, apto, portanto, a aconselhar nesta esfera, no entanto, não decide, a decisão continua a ser de responsabilidade do(s) dono(s) do negócio, que terá(ão) apoio fundamental para tomada de decisão mais assertiva.

Conclusão

O Brasil é um dos países mais empreendedores do mundo, também, o país onde mais se fecham empresas num curto espaço de tempo. O SEBRAE apontou que 50% das empresas abertas no Brasil, não passam de 04 anos de existência, e, isto, principalmente pela falta de planejamento.

Mas, quando se passa desta etapa, para permanecer no mercado, é preciso que a Organização mantenha uma conduta ética, tenha seus controles financeiros em dia, busque sempre se manter atualizada, entre outras.

As consultorias são requisitadas principalmente nos momentos de crise, para assegurar o bom desempenho das Organizações, mesmo neste período. Além disso, podem ajudar em todos os processos, seja para uma Entidade que esteja iniciando as atividades, ou, que já esteja no mercado, mas está passando por dificuldades, ou ainda, que apenas queira melhorar seu desempenho.

Os consultores são os mais indicados para dar o suporte necessário, seja qual for a finalidade da empresa, de modo a alcançar o objetivo almejado de maneira excepcional, para o diligente, há sempre oportunidades:

Provérbios 22: 29- “Viste um homem diligente na sua obra? Perante reis será posto; não será posto perante os de baixa sorte”.

O destino do diligente não é a companhia de pessoas obscuras e insignificantes.

Diligência “é uma habilidade adquirida que combina persistência criativa, esforço inteligente, planejado e executado de forma honesta e sem atrasos, com competência e eficácia, de modo a alcançar um resultado puro e dentro do mais alto nível de excelência”.

O diligente se antecipa nas resoluções das atividades dadas fazendo-as com excelência, desta forma, os resultados esperados, de fato, serão alcançados.

Que o SENHOR DEUS nos continue a abençoar!!!

Willian Sousa

Consultor Empresarial

Especialista em Controladoria e Finanças

Fontes de pesquisa:

  • biblegateway.com;
  • Bíblia de Aplicação Pessoal CPAD;
  • Dicionário Aurélio 2009;
  • EQJunior: “Contratar consultoria?”;
  • Intelliplan: “5 motivos contratar consultoria empresarial”;
  • SEBRAE: “Motivos para contratar um consultor para minha empresa”.
Compartilhar notícia: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Comentários