Bajulação no mercado de trabalho

Bajulação no mercado de trabalho

Por definição, “bajular” é “lisonjear, adular servilmente”, sendo “lisonjear” definido por “louvor exagerado, adulação”. Etimologicamente, “bajular” se originou a partir do latim “bajulo”, “bajulatum” ou “bajulare”, que significa “levar nos braços” ou “levar às costas”, no sentido de “ajudar alguém”.

Já um dos sinônimos de “bajular”, “adular”, seria a forma portuguesa do vocábulo latino “aduláre”, e significa, etimologicamente, “o movimento que o cão faz com a calda ao se aproximar do dono”.

Então, a “bajulação” seria também definida como “elogio exagerado, não verdadeiro, portanto, visando algum benefício em troca“, podendo originar-se da “superficialidade das relações humanas“, onde o interesse por bens superaria a consideração e o respeito pelo próximo, tentando substituir o ganho por mérito pelo ganho sem mérito real.

No cristianismo, a “regra de ouro do evangelho” seria: “o que você quer que façam para você, faça também para os outros” (Mateus 7: 12), palavras do Maior Homem da História, o SENHOR JESUS CRISTO, perceba que a ação está em nós: “faça…”, requer atitude, movimento, portanto, não inércia, o que culminará em relacionamento.

No ambiente de trabalho, atualmente, profissionais que bajulam não são bem quistos e aceitos, já que tendem a prejudicar os resultados das Organizações, pois não apresentam resultados efetivos no que empreendem, tentando “compensar” o mau resultado bajulando seus superiores.

Estão então, focados em enaltecer algo ilusório em seus líderes, que, desta forma, não produzirá ganhos reais e mensuráveis para Empresa, sendo que, se aceitos por uma liderança, podem gerar até frustração por parte dos profissionais que estão gerando ganhos reais para a Entidade, desprestigiando assim a meritocracia.

Perceba o que diz a Bíblia Sagrada sobre o bajulador:

Provérbios 21: 6- “Trabalhar por ajuntar tesouro com LÍNGUA FALSA é vão e tolo, e aqueles que a isso são impelidos buscam a morte”.


O rei Salomão revela qual seria a verdadeira intenção do bajulador: alcançar metas egoístas usando as pessoas. Quem ajunta os tesouros com uma língua fraudulenta, busca coisas vãs.

Veja outro texto muito profundo sobre este assunto:

Provérbios 28: 23- “O que repreende ao homem achará depois mais favor do que aquele que lisonjeia com a língua”.

A honestidade, embora de forma dolorosa, recebe a recompensa em longo prazo, quando uma pessoa é repreendida pela outra por suas falhas, a repreendida pode enfurecer-se no começo, mas depois, reconhecerá o valor da repreensão e terá em melhor consideração a que repreendeu, em detrimento da que lisonjeia, pois a que lisonjeia encoraja práticas que devem ser repreendidas.

Em contraste com a “bajulação”, há a “honra”, que, por definição seria: “consideração à virtude, ao talento, à coragem, à santidade, às boas ações ou às qualidades de alguém”. Note, neste caso, que a honra deve ser dada a alguém que realmente mereceu, sem outra pretensão a não ser enaltecer alguma atitude de real valor, que, desta forma, gerou resultado positivo concreto.

Para um ambiente saudável e equilibrado, é importante valorizar a Meritocracia nas Organizações, o que culminará na falta de espaço para a bajulação também.

Note este versículo da Bíblia Sagrada:

I Coríntios 9: 10- “Quem ara e quem trilha o cereal deve ter a esperança de receber uma parte da colheita”…

Meritocracia é a ideia da hierarquia baseada em méritos peculiar de cada indivíduo, ou, elevação por merecimento. Esse modelo estimula as pessoas a se qualificarem cada vez mais, combatendo o favorecimento a parentes ou amigos (nepotismo) e a corrupção, não favorecendo atos de bajulação também.

Em uma empresa onde os cargos são distribuídos somente pela relação de parentesco, não há estímulo para um funcionário se qualificar, já que seus méritos não seriam reconhecidos. Há ainda um grande dano quando na administração pública somente interesses políticos dão rumo à distribuição de cargos, em vez da qualificação técnica entre outras.

Numa certa ocasião, o SENHOR JESUS, ao enviar os seus discípulos a algumas cidades, pediu que não levassem bolsas ou sandálias, como forma de acostumarem-se a receber o que lhes fosse oferecido, pois “quem trabalha merece receber por seu trabalho”, este é um exemplo de reconhecimento dos méritos individuais, perceba o texto:

Lucas 10: 7- “Fiquem naquela casa, e comam e bebam o que lhes derem, pois o trabalhador merece o seu salário. Não fiquem mudando de casa em casa”…

Note o que diz o apóstolo Paulo nas recomendações ao seu aprendiz Timóteo:

I Timóteo 5: 17- “Os presbíteros que fazem bem seu trabalho devem receber honra redobrada”…

Desta forma o apóstolo quis tornar evidente a necessidade de recompensa justa a quem se esforça.

Para o sucesso do sistema meritocrático no ambiente de trabalho, é necessário que haja transparência com relação à hierarquia e às atribuições para cada cargo. Sendo assim, os colaboradores terão total ciência das regras para uma promoção ou causas que resultarão em demissão.

Outrossim, comentários sobre favorecimento de uns sobre outros são evitados. Cria-se um ambiente de competição saudável, onde se estimula a melhora dos profissionais que terão benefícios por isso, desta forma, o mérito será sempre o meio de ascensão ou melhora de remunerações.

A meritocracia pode ser vista como ferramenta para combate à desigualdade social, pois, ao longo prazo, contribuirá para que pessoas compitam em igualdade de condições, bastando ter a oportunidade de capacitarem-se. Vários exemplos existem de pessoas que ascenderam de posição econômica desfavorável a favorável pela ascensão por mérito, de forma justa e equilibrada.

Profissionais preparados diferenciam-se dos não preparados pela competência que possuem, o que resultará na execução e entrega de trabalhos bem feitos que gerarão resultados que agregarão real valor à Organização, contribuindo para longevidade dela, o contrário é o que resulta da ação dos bajuladores, que muitas vezes criam também facções nas empresas, o que também é extremamente prejudicial.

Estes “profissionais” não geram valor real para as Empresas, e isso será evidente nos resultados negativos para a Organização onde estão atuando, por isso e muito mais, eles devem ser evitados, não devemos bajular.

O melhor caminho é o da capacitação, trabalho honesto e competente, feito com diligência, veja este também profundo versículo bíblico:

Provérbios 10: 4-5-“4. O que trabalha com mão enganosa empobrece, mas a mão dos diligentes enriquece. 5. O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha”…

O termo “mão enganosa” tem esta nomenclatura, em parte porque a pessoa nesta realidade parece, ou finge fazer alguma coisa, quando, em verdade, nada faz; e em parte porque essas pessoas geralmente se esforçam para se manter em um cargo por engano e maldade, em vez de fazê-lo com trabalho e diligência honestos.

Já em “mas a mão do diligente enriquece”- Entende-se que isto ocorre, não por si só, nem necessariamente, como é manifesto a partir da experiência, mas através da bênção do SENHOR DEUS, que é comumente dada aos diligentes, esforçados.

Note outro profundo texto Bíblico:

Salmos 115: 16- “Os céus são os céus do SENHOR; mas a terra, deu-a Ele aos filhos dos homens”…

Em “os céus são os céus do SENHOR“, numa interpretação mais literal: “Os céus são céus para Jeová”, isto é, Ele reservou os céus como um lar para si mesmo, ou como sua possessão especial e lar.

E em “mas a terra deu-a Ele aos filhos dos homens”- Traz a ideia de que O SENHOR DEUS propeliu a terra para a morada do homem; ele colocou o homem sobre ela para cultivá-la; ele deu seus frutos e produções para o homem, para ser segurado e desfrutado pelo homem; ele fez tudo na terra sujeito ao homem – os habitantes do ar, da terra e das águas. Tudo isso ele deu ao homem; não para os anjos.

A terra é o lar do homem, o local de nascimento do homem; o lugar onde ele mora, onde ele mostra o resultado de sua labuta, sua habilidade; o lugar onde ele constrói casas, pontes, monumentos, obras de arte; o lugar onde ele se prepara para outro estado de existência; o lugar onde ele morre e é enterrado.

É, como formado pelo CRIADOR, uma bela casa preparada para a humanidade, para que a humanidade não tenha falta de nada. Consequentemente, DEUS tem todo recurso em si mesmo. Aqui declara expressamente que o mundo é empregado por Deus, com o único propósito de testemunhar sua solicitude paterna em relação à humanidade.

Dinheiro oriundo de trabalho honesto é bem vindo, se quisermos algo aqui, temos que conquistar!!!

QUE O SENHOR DEUS nos continue a abençoar!!!

Willian Sousa

Consultor Empresarial

Especialista em Controladoria e Finanças

Fontes de pesquisa:

  • Bíblia Sagrada;
  • Livro: “Lições da Bíblia para o sucesso no trabalho”; Autores: Rodnei Leandro Betetto; Carlos Eduardo Fernandes; Editora Mundo Cristão;
  • Dicionário da Língua Portuguesa Aurélio, 2009;
  • Dicionário Houaiss;
  • bibliacomentada.com.br/biblia/;
  • www.significados.com.br/bajular/.
Compartilhar notícia: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Comentários